fbpx

Gerenciamento de risco: definição e como usá-lo a seu favor

Independentemente do tipo de operação que você realiza na Bolsa, é preciso ter um gerenciamento de risco de qualidade.

Principalmente, quando pratica investimentos com possibilidade de maiores retornos, porque isso também significa arriscar ter maiores prejuízos na mesma proporção.

Assim, se você não desenvolve o gerenciamento de risco nas suas operações, as perdas, infelizmente, podem ser maiores do que você imagina.

É aí que está o tamanho da importância do tema: levar a segurança necessária até você, mesmo nos investimentos de maior risco do que o usual

 

O que é gerenciamento de risco

Pegando carona na definição trazida no Wikipédia, gerenciamento de risco realiza-se com a adoção de melhores práticas de infraestrutura, políticas e metodologias.

Isso tudo de modo a permitir uma melhor gestão dos limites de risco aceitáveis, do capital, da precificação e do gerenciamento da carteira.

Basicamente, então, é um conjunto de regras que você define para os seus investimentos, para duas finalidades:

  • Minimizar os danos causados em momentos de prejuízo;
  • Maximizar os ganhos quando a operação dá certo.

O gerenciamento de risco costuma considerar o tamanho do seu patrimônio, o seu conhecimento sobre investimentos e o seu perfil para que seja feito efetivamente.

Pois com um bom gerenciamento de risco, o investidor muito dificilmente perde mais do que o esperado, até em momentos difíceis.

 

4 passos para você construir um bom gerenciamento de risco

 

1: conhecer o próprio perfil de investidor

Afinal, como realizar investimentos se você não se conhece primeiro?

É sempre importante saber em que nível de investidor está, se:

  • Conservador;
  • Moderado;
  • Agressivo.

Só assim você conseguirá ter uma noção melhor de qual operação tem mais a ver com o seu estilo.

Mas não pode parar por aí, pois os passos seguintes precisam ser seguidos para que o processo fique mais seguro e completo.

 

2: definir o quanto de capital vai alocar em Bolsa

E para chegar a esse determinado valor, não é tão simples.

Como assim?

Por exemplo, não vai colocar praticamente tudo que possui, já imaginando que, no mínimo, receberá o dobro em troca, só porque o investimento possui rentabilidade alta.

Lembre-se: o mesmo alto ganho que é possível você receber pode se tornar uma grande perda da mesma forma.

Por isso, coloque um valor seguro, de modo que não afete negativamente o seu tipo de vida atual.

 

3: buscar a diversificação de carteira

Se você entrou ou entra no mundo dos investimentos, uma das principais buscas sua deve ser a diversificação de carteira.

Isso te ajuda a não ficar refém de um investimento ou outro.

Por exemplo, em um dado momento, um produto financeiro pode estar passando por rentabilidades negativas, e se você tem dinheiro aplicado apenas nele, seu patrimônio pode ir por água abaixo de uma vez por todas.

Agora, se o seu capital está bem distribuído em muitos investimentos, a possibilidade é maio de que você esteja adquirindo mais lucros do que prejuízos.

Até porque essa é a tendência do mercado – subir mais do que cair -, mesmo passando por fases de crise.

 

4: estabelecer regras

Dentro das estratégias de suas aplicações, é importante que haja, frequentemente, regras objetivas para melhor conduzir seus rendimentos.

Isso contribui nas atitudes que você deve tomar caso um cenário ou outro aconteça e, principalmente, diante de imprevistos.

Exemplo de regra?

Sempre operar com stop loss.

Mas o que é isso?

Bom, como o nome em inglês já sugere, representa uma ordem de venda disparada automaticamente quando suas ações atingem o limite de perda que você deixou programado.

Obviamente, isso ajuda, se você tiver prejuízos, que os mesmos não sejam tão significativos.

Aliás, o indicador HiLo Activator (sigla em inglês para High Low – Alto Baixo, em português) também é uma interessante alternativa, já que costuma indicar tendência.

Isto é, ele tenta identificar se um ativo está em tendência de alta ou de baixa.

Assim, pense num setup (conjunto de regras) que dê a você uma simetria do risco-retorno, buscando que a operação sempre provoque resultados positivos no fim das contas.

 

2 dicas extras para o seu gerenciamento de risco

 

Respeite a volatilidade do ativo financeiro

Isso significa, por exemplo, evitar superestimar o retorno que pode dar ou subestimar o risco.

Esse ponto, aliás, acaba sendo o erro mais comum na hora de realizar os investimentos e pode impactar seriamente o seu estado emocional.

E você deve imaginar, que afetando suas emoções, para se recuperar o caminho pode ser ainda mais complicado do que quando estava começando.

 

Anote tudo o que aprende e o histórico de cada operação

Por que isso?

Porque dessa forma você poderá ter um controle e noção muito maior do que está fazendo.

Você poderá ter um melhor panorama para analisar tudo isso com muito mais cautela e tomar decisões mais sábias no momento de fazer as operações seguintes.

Portanto, seja no papel ou com uma planilha, produza algo por escrito que você possa ver e rever quantas vezes quiser e precisar para ter um bom controle da sua carteira.

 

Resultado mais provável de quem não segue esses passos e dicas

Quer saber de uma situação muito comum de quem se deixa levar pelas emoções, sem parar para anotar e analisar os mais variados aspectos dos investimentos?

O investidor ou trader possui uma determinada meta para alcançar em um dia, e ele consegue chegar bem próxima dela já quase ao meio-dia.

Aí, o que ele faz?

Opera mais uma vez para poder bater a meta já na metade do dia, mesmo sabendo que esse não costuma ser um bom horário para realizar boas operações.

E o que acontece?

Tem uma perda, então fica mais distante da meta do que estava antes.

Para corrigir esse erro, o que ele faz?

Basicamente, o mesmo erro: opera mais uma vez e tem mais uma perda (ou loss, como é conhecido esse momento no mercado).

E assim vai até o fim, buscando corrigir aquela última operação antes de ir para o almoço.

O resultado?

Em vez de ficar muito próximo da meta – mesmo não batendo-a – como poderia ter ficado, sai com um loss bem considerável, fechando o dia no negativo.

https://inspirainvestimentos.com.br/wp-content/uploads/2018/09/icon_local-65x65.png

Nossos endereços:

Santa Maria | RS
(55) 2103.3600
Rua Floriano Peixoto 1709 | sala 501
santamaria@inspirainvestimentos.com.br

Santa Cruz do Sul | RS
(51) 2106.3600
Rua Marechal Deodoro 568 | sala 301
santacruz@inspirainvestimentos.com.br

Telefone Ouvidoria
(XP Investimentos)

0800 722 3710

©2018 Inspira Investimentos.
Todos os direitos reservado.

https://inspirainvestimentos.com.br/wp-content/uploads/2018/09/icon_local-65x65.png

Nossos endereços:

Santa Maria | RS
(55) 2103.3600
Rua Floriano Peixoto 1709 | sala 501
santamaria@inspirainvestimentos.com.br

Santa Cruz do Sul | RS
(51) 2106.3600
Rua Marechal Deodoro 568 | sala 301
santacruz@inspirainvestimentos.com.br