Dividendos: o que são, como funcionam e dá para viver disso?

Distribuídos em dinheiro, os dividendos fazem parte do mercado financeiro, ou seja, dos investimentos, e são ponto importante dos ganhos dos investidores.

Para começar, é bom destacar que dividendos são um dos tipos de proventos existentes (partes do lucro de uma empresa). Esse tema, aliás, é um dos tópicos mais pesquisados quando o assunto é viver de renda – um dos maiores desejos de quem está em busca da independência financeira. Mas para destrinchar isso tudo melhor, preste atenção nos tópicos a seguir.

O que são dividendos

Os dividendos são o tipo de provento mais popular no mercado, e ações que pagam bons dividendos acabam sendo as favoritas dos investidores.

Basicamente, esses dividendos são proventos pagos por empresas de capital aberto e distribuídos entre os seus acionistas como forma de remuneração.

Aliás, grande parte das empresas que são consideradas mais consolidadas oferecem dividendos como forma de remunerar os seus acionistas. Dessa forma, como o preço das ações dessas empresas não costuma variar muito, elas oferecem esse diferencial para atrair e reter novos investidores.

Convenhamos, é até natural que os sócios de uma empresa recebam parte do lucro. Por isso, todas as empresas da B3 têm necessariamente que dividir no mínimo 25% dos seus lucros com os detentores de seus papéis.

E essa divisão do lucro líquido acontece de acordo com a quantidade de papéis que você possui, o que quer dizer que, quanto mais ações você tiver, maior a sua parcela será. Só que as empresas também podem escolher entre partilhar todo o seu lucro com os seus acionistas ou manter alguma porcentagem para si.

 Como as empresas pagam dividendos?

Para uma empresa pagar dividendos, a mesma precisa e deve seguir alguns passos.

  • 1º: conseguir aprovação do Conselho Administrativo, órgão interno que supervisiona as atividades da organização;
  • 2º: protocolar a decisão na CVM (Comissão de Valores Mobiliários) – vinculada ao Banco Central;
  • 3º: creditar os dividendos nas contas dos acionistas, uma vez que os passos anteriores foram cumpridos.

Na primeira etapa, os membros desse órgão se reúnem e decidem a respeito da proposta, avaliando, por exemplo, se há lucro suficiente para distribuir uma parte aos acionistas. Na segunda, o objetivo é informar publicamente a decisão de pagar os dividendos e os valores e datas para que isso aconteça.

 Como funciona o investimento em dividendos

O pagamento de dividendos pode acontecer com diferentes frequências, como:

  • Mensal;
  • Trimestral;
  • Semestral;
  • Anual.

Algumas instituições até aumentam os valores da distribuição de seus lucros ao longo do tempo. Por exemplo, uma determinada empresa pode oferecer dividendos de 25% agora e aumentá-lo no ano seguinte para 40%.

Mesmo não sendo uma regra, as empresas que têm a fama de pagar dividendos crescentes não costumam decepcionar os seus acionistas. É bom ter em mente que, quando uma companhia paga dividendos, ela provavelmente possui uma governança corporativa mais sólida, em que o fluxo de caixa é bem previsível.

Já as empresas que ainda estão crescendo, precisam investir e expandir mais rápido, então não costumam distribuir os dividendos neste período. Agora, quando qualquer companhia se torna boa pagadora de dividendos, isso acaba atraindo cada vez mais investidores. Existem alguns nomes que todo acionista deve conhecer para se beneficiar da melhor maneira possível com dividendos. São eles: 

Data de Registro

É o dia que as empresas usam para determinar quem são os seus acionistas, sendo preciso constar na contabilidade da organização para que seus investidores possam receber a sua parte dos lucros.

Nesse dia, também é definido quem receberá:

  • Procurações;
  • Relatórios financeiros;
  • Outras informações que são importantes para o processo de distribuição de dividendos.

Data de Declaração

É na Data de Declaração que o Conselho de Administração da empresa anuncia os dividendos, sendo comunicados:

  • Valor do dividendo;
  • Data de registro;
  • Data de pagamento.

Depois dessa divulgação, a companhia em questão tem a obrigação legal de distribuir parte de seu lucro entre os acionistas.

Data Ex-Dividendo

Isso surge quando novos acionistas não possuem mais direito aos recebimentos do dividendo declarado. Então, existe esse dia, conhecido como “data-ex”, em que os ex-dividendos são anunciados.

O que isso quer dizer? Basicamente, que se um acionista comprar uma ação após essa data, quem recebe a sua parte na divisão dos lucros é o vendedor da ação. Para se ter ideia, a data-ex normalmente acontece dois dias úteis antes da data de registro, mas podendo variar em pagamentos que não são feitos em dinheiro.

 Índice de Cobertura de Dividendos

O índice de cobertura de dividendos é a relação existente entre o lucro líquido de uma organização e os dividendos pagos aos seus investidores. Assim, os acionistas conseguem medir mais facilmente a capacidade que a empresa tem de pagar pelos seus dividendos.

Tal índice é calculado por meio da divisão do lucro total pelo valor do dividendo de uma determinada ação.

 PRD (Planos de Reinvestimento dos Dividendos)

É um planejamento feito por uma determinada empresa, a fim de permitir que seus acionistas reinvistam os dividendos pagos em dinheiro de forma automática.

Dessa forma, tal reinvestimento é programado para acontecer no dia da divisão de parte do lucro da empresa. Muitas vezes, as empresas que oferecem o PRD permitem que a compra seja realizada com descontos e sem comissões. Essa pode acabar sendo uma ótima oportunidade para os acionistas que visam aproveitar o potencial de capitalização da organização.

Tipos de proventos (incluindo dividendos)

Todo provento é pago proporcionalmente ao seu número de ações, com os investidores não tendo influência sobre o lucro de uma empresa, na maioria das situações. De qualquer forma, isso não muda o fato de qualquer acionista poder utilizar índices e indicadores das organizações para identificar boas pagadoras de proventos, por exemplo.

 Dividendos

Bom, sobre esse tipo de provento, falaremos de forma mais breve, já que abordamos algumas questões que o envolvem. Em todo caso, ainda vale saber que as empresas que distribuem mais proventos possuem um dividend yield maior.

“O que é isso?”

Esse é o Rendimento do Dividendo: trata-se de um índice que mede o rendimento dos dividendos, em um período, em relação ao preço de suas ações. Esse valor é calculado a partir da equação:

  • Dividendos pagos por ação / Cotação atual da ação = Dividend Yield

Assim, esse indicador se faz importante para você comparar a rentabilidade dos dividendos entre empresas.

 Bonificação

Esse é um ponto interessante, já que o pagamento de um provento também pode ser feito com ações adicionais para o acionista. Com isso, a quantidade de ações recebidas varia de acordo com o número de ações que o investidor já possui.

Dividendo especial extraordinário

Um dividendo especial é um pagamento extra que as empresas fazem aos seus investidores, sendo assim um ponto fora da curva e raro de acontecer.

Isso pode acontecer por inúmeros motivos, como:

  • Um ganho inesperado;
  • Um súbito aumento de caixa da organização;
  • Mudanças na regulamentação.

Direitos de subscrição

Esse provento acontece quando a empresa emite mais ações e dá o direito aos acionistas de comprá-las antes do mercado. Em alguns casos, essas ações são disponibilizadas por um valor abaixo do que será comercializado no mercado. Caso receba direitos de subscrição, há um prazo para escolher se vende o direito ou o subscreve.

JCP (Juros sobre Capital Próprio)

É um tipo de provento muito similar para o investidor aos dividendos comuns, com a diferença se dando na contabilidade da empresa pagadora de proventos, pois é considerado como uma despesa para a companhia. Isso acaba acontecendo, pois o JCP é descontado antes do lucro líquido, o que garante um benefício fiscal.

Dá para viver de dividendos?

Respondendo diretamente à pergunta, só é possível viver de dividendos de acordo com o seu capital, e claro, seu estilo de vida – ou seja, depende. Depende, por exemplo, de quanto você julga ser necessário receber mensalmente, a fim de conseguir pagar as suas contas, e de quanto você tem para aplicar.

Aliás, como os dividendos são parte do lucro líquido dividido entre os acionistas, o valor por ação acaba não sendo significativo. Dessa forma, para fazer um bom dinheiro a partir disso, é necessário ter uma quantidade grande de ações – o que não é a realidade de muitos investidores.

Por isso, diversifique os seus investimentos para que os seus ganhos sejam potencializados e os riscos, minimizados. Além disso, é necessário que você seja realista quanto à periodicidade em que precisará receber os seus pagamentos.

Sabe por quê?

Porque é comum os dividendos serem pagos anualmente, o que significa que é apenas uma quantia extra, que entra uma vez ao ano. Por isso, é mais fácil enriquecer com o rendimento das ações do que com dividendos.

Fonte: Blog XPeed School XP Investimentos

https://inspirainvestimentos.com.br/wp-content/uploads/2018/09/icon_local-65x65.png

Nossos endereços:

Santa Maria | RS
(55) 2103.3600
Rua Floriano Peixoto 1709 | sala 501
santamaria@inspirainvestimentos.com.br

Santa Cruz do Sul | RS
(51) 2106.3600
Rua Marechal Deodoro 568 | sala 301
santacruz@inspirainvestimentos.com.br

Telefone Ouvidoria
(XP Investimentos)

0800 722 3710

©2018 Inspira Investimentos.
Todos os direitos reservado.